terça-feira, 30 de novembro de 2010

Dunk Airball

Essa eu ainda não tinha visto. Em dezembro de 2008, Marreese Speights, do Sixers, quase deu uma cravada de quebrar o cristal. Faltou pouco.

Dallas e Utah também vencem na rodada

Os dois times jogaram em casa. O Dallas venceu o Houston: 101 a 91. Nesse jogo teve até uma enterrada do Jason Terry. Baixinho abusado...


O Utah recebeu o Milwaukee, e não teve dificuldades: 109 a 88.

OKC vence o New Orleans com show da dupla Durant-Westbrook

Kevin Durant: 26 pontos, 11 rebotes;
Russel Westbrook: 25 pontos, 11 assistências
Com o bom rendimento da dupla ficou difícil para o Hornets, apesar dos 20 pontos de David West e dos 17 de Chris Paul. O Oklahoma foi levando o jogo em banho-maria. Ficou atrás do marcador em vários momentos no 3º quarto, mas soube virar com bolas precisas de Westbrook. Mais uma vitória, a 12ª: 95 a 86.

LeBron James faz 30 pontos na vitória do Miami

A vitória era esperada, pois o Miami tem uma campanha quase impecável quando pega equipes com menos de 50% de vitórias. Desta vez não foi diferente. Foi um passeio contra o Wizards, que jogou sem John Wall.
Um jogo bastante tenso, com várias confusões em quadra. LeBron James, 30 pontos, D-Wade, 26 e Chris Bosh, 20, garantiram mais uma vitória para o Heat. 105 a 94.
Foi a vitória número 100 do contestado Spoelstra no comando do Heat. No começo do vídeo, aparece a imagem dele levando um encontrão de LeBron James, num pedido de tempo. Os dois negam problemas de relacionamento.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Indiana derrota o Lakers, em Los Angeles

O Indiana Pacers não é nenhuma maravilha, mas joga direitinho, tem um franchise player, Danny Granger, mas faz tempo que fica naquele bloco intermediário que não consegue classificação para os playoffs. Ou seja, é um time que não mete medo em ninguém. Talvez por isso o Lakers recebeu o Pacers relaxado. Perdeu o 1º tempo por 51 a 45 e teve que correr atrás do prejuízo na segunda etapa.
Kobe entrou em ação. Fez 41 pontos, 15 deles seguidos no 3º quarto entre todos os jogadores do time do Lakers. Mas o que o Lakers descobriu é que o veneno do Indiana é o jogo coletivo.A bola roda bastante, e sempre encontra o jogador mais bem posicionado. No minuto final, ainda em vantagem, o Pacers assistiu ao desespero do Lakers. Kobe podia ter aumentado sua coleção de buzzer-beaters, mas errou o último arremesso que levaria o jogo para a prorrogação. Final: 95 a 91.

O Indiana não vencia o Lakers no Staples Center fazia 4306 dias, 12 temporadas atrás.

Sem Carmelo, Denver passa pelo Phoenix

O astro do Nuggets jogou menos de 3 minutos e deixou a quadra, sentindo-se mal. J.R. Smith assumiu o lugar para ser o cestinha do Denver, 30 pontos. Mas o jogo contra o Phoenix foi duro, porque as bolas de Jason Richardson caíam. Ele acertou 7 bolas triplas e foi o maior pontuador da partida com 39. Arremessos de longe que fizeram o Suns sonhar com um triunfo. O jogo foi para os instantes finais, mas o Denver tinha a vantagem. Foi só converter os lances livres e garantir a 4ª vitória consecutiva: Final: 138 a 133.

As vitórias suadas de New Jersey e Houston

Os dois times, que estão em situação desfavorável na tabela se deram bem neste domingo. O Nets recebeu o Portland e contou com uma bela atuação de Devin Harris, especialmente no último período, para chegar à vitória: 98 a 96.

O Houston também jogou em casa, o que não tem sido exatamente uma vantagem nesta temporada. Recebeu o Oklahoma City, um osso duro de roer. Mesmo assim, o time texano se superou. Fez um bom 1º quarto e foi mantendo o placar. No fim, sofreu uma pressão terrível do Thunder, que teve Russel Westbrook com 23 pontos. Kevin Durant teve a chance da última bola, mas ela não entrou. Vitória do Houston por 99 a 98.

Atlanta embala de novo

O Hawks atingiu a 3ª vitória seguida, ao vencer o Toronto Raptors, no Canadá. Uma vitória convicente: 96 a 78. O destaque do jogo foi Josh Smith, com um triple double: 12 pontos, 12 rebotes e 13 assistências, o primeiro da carreira.

Depois de bater o Lakers, Utah também dá surra no Clippers

O jogo foi em Los Angeles, mas o Jazz é quem se sentiu me casa. Todos os titulares fizeram duplo dígito, além de 16 pontos do reserva C.J. Miles. Deron foi o principal pontuador do Utah, com 26 pontos e 9 assistências. Pelo Clippers, faltou defesa novamente para evitar a reação do Jazz, vantagem de 8 pontos que evaporou já no 3º quarto. Blake Griffin, que vem mantendo média de double-double, fez desta vez 35 pontos e agarrou 14 rebotes. Eric Gordon contribuiu com 21 pontos, mas foi pouco para o Clippers. Final: 109 a 97.

domingo, 28 de novembro de 2010

San Antonio se recupera em New Orleans

Os dois times dominaram o começo do campeonato e foram as duas últimas a perderem invencibilidade. Depois disso, o San Antonio perdeu dois jogos e o New Orleans, três. De qualquer forma, um duelo que ainda chama a atenção porque as duas estão entre os 4 do oeste. Podemos dividir este jogo em duas partes: 1º e 2º tempo (jura?). Mas o que quero dizer é que na primeira etapa o Hornets jogou por música, com 17 pontos de vantagem.
No segundo tempo, foi a vez do Spurs assumir o domínio das ações. Manu Ginobili distribuiu o jogo com a inteligência habitual e também decidiu, com 23 pontos. No quarto período, o Spurs passou à frente e deslanchou. Final: 109 a 95.

Detroit vende caro a derrota para o Knicks

Foram necessárias duas prorrogações para o Knicks vencer o Pistons, em Detroit. Com uma atuação de gala de Amar'e Stoudamire, 37 pontos, Danillo Gallinari e Rodney Stuckey, 20 pontos cada, o New York deixou passar duas chances de fechar o jogo. O Detroit empatou a 10 segundos do fim e levou à prorrogação. Nos instantes finais do tempo extra, a situação se repetiu. Na segunda prorrogação, o Knicks acertou quatro bolas triplas e liquidou a fatura. 125 a 116. E vale o registro. Tracy McGrady jogou 28 minutos e marcou 13 pontos, a melhor pontuação da temporada.

Outros jogos da rodada de sábado, 27/11

Charlotte 101 x 104 Milwaukee Bucks - 32 pontos de Brandon Jennings

Chicago 96 x 85 Sacramento Kings - Derrick Rose voltou ao comando. 30 pontos.

Dallas aumenta crise em Miami

Tá certo que não dava pra contar com uma vitória em Dallas, contra um dos times mais sólidos da temporada, mas cada derrota do Miami Heat é comemorada pelos que foram contra a decisão de LeBron James e Chris Bosh de juntarem-se a Dwayne Wade e formar um supertime. A equipe não é imbatível e tem muitas falhas, como visto na quadra em Dallas. O trio pontuou bem. LeBRon, 23, Bosh e Wade, 22. Mas os outros não contribuíram mais do que 9 pontos. Aí, Udonis Haslem faz falta, tanto na complementação do ataque, quanto na defesa.
O time até fez um primeiro tempo equilibrado, mas não conseguiu parar Dirk Nowitzki, autor de 22 pontos, e a surpresa, Caron Butler, 23 pontos, a maioria deles no 3º período, quando a partida praticamente se decidiu. Quinta vitória seguida do Mavs: 106 a 95.

Rodada dupla dos desesperados: Philadelphia e Golden State vencem

O Sixers conseguiu sua quarta vitória ao bater o New Jersey Nets, 102 a 86.

Já o Golden State deixou pra trás uma sequência de 5 derrotas ao vencer o Minnesota, em Minneappolis, o que não é fácil, por 104 a 94. Dorel Wright foi o cestinha, com 30 pontos.

Mo Willians é o destaque na vitória do Cleveland sobre o Memphis

O armador, que no jogo passado fez a cesta da vitória, no estouro do relógio, voltou a jogar bem. Marcou 25 pontos e distribuiu 12 assistências na vitória sobre o Memphis por 92 a 86. Varejão marcou só 3 pontos, mas ajudou com 11 rebotes. As vitórias do Cavs são magrinhas, como esta, mas desse jeito, já está com 7 triunfos, quase igual o Miami de LeBron James, que tem 9, e um elenco bem mais estelar.

Washington chegou perto de vencer o Orlando

O Washington Wizards fez uma partida bem diferente da primeira contra o Orlando Magic, na estreia das duas equipes na temporada, quando o Wizards foi massacrado por 112 a 83. Desta vez, o Washington não teve John Wall, mas Gilbert Arenas chamou a responsabilidade. Foram dele 31 pontos no jogo, 9 nos últimos quatro minutos de jogo. A partida estava na mão até 4 segundos do fim, quando Dwight Howard consertou uma bola mal lançada de Jameer Nelson e mandou pra dentro. O pivô fez 32 pontos na noite, com 11 rebotes. No ataque seguinte, Arenas teve a chance, mas deu aro. 100 a 99.

sábado, 27 de novembro de 2010

Knicks perde em casa para o Atlanta

O Atlanta Hawks voltou à ascendente. Engrenou de novo e hoje atingiu a segunda vitória consecutiva, contra o New York Knicks, que vinha de 5 vitórias. Jamal Crawford veio do banco e saiu como cestinha do Hawks, com 21 pontos. Amar'e Stoudamire fez 24 pontos, mas não evitou a derrota. 99 a 90. Se vencesse, o Knicks passaria a ter mais vitórias que derrotas, algo que não acontece há 8 temporadas.

Completando a rodada: New Orleans volta a vencer; Memphis passa pelo Golden State

O New Orleans Hornets retornou ao caminho das vitórias. E conseguiu um triunfo pra ninguém duvidar que o time é um dos candidatos a ir longe na temporada. Venceu o Portland, em Portland, por 97 a 78. Brandon Roy foi o destaque do time da casa, mas o jogo coletivo e a forte defesa do Hornets falou mais alto.


E o Memphis não deixou passar a oportunidade de aproveitar a má fase do Golden State. Venceu apertado por 116 a 111. Foi a 5ª derrota consecutiva do Warriors, e o terceiro triunfo seguido do Memphis.

Utah consegue grande vitória contra o Lakers

Será que já dá pra falar em MVP? Deron Willians venceu mais um duelo contra outro astro no jogo contra o Lakers. Foi um duelo particular com Kobe Bryant. Deron comandou a virada do Jazz, que estava 19 pontos atrás, e anotou os últimos 11 pontos da equipe do Utah. No total foram 29 pontos e 12 assistências, contra 31 pontos de Kobe Bryant. O Lakers parecia estar com a partida encaminhada, apesar da bravura do Jazz. Mas a bola parou de cair a pouco mais de um minuto do fim. Final: 102 a 96.

Tática da correria dá certo contra o Clippers

O Phoenix Suns conseguiu vencer o Los Angeles Clippers com aquilo que vem fazendo nos últimos jogos: começa a 100 por hora, acelera o jogo logo no 1º quarto, deixando o adversário atordoado. Contra o Clippers foi 42 a 21 no 1º período. No 2º quarto, quando os reservas entram em quadra e dão outro ritmo, a coisa começa a mudar. O Clippers tirou 5 pontos no 2º quarto, cedeu 1 ponto no 3º e tirou mais 9 no 4º quarto. Eric Gordon foi o cestinha com 32 pontos. Blake Griffin e Ryan Gomes contribuiram com 20 pontos cada. Pelo Suns, Jason Richardson marcou 29, Hakim Warrick, 25, Steve Nash 16, e Hedo Turkoglu, saiu zerado. Ele jogou 15 minutos e tentou três bolas. O Suns conseguiu segurar a vantagem e venceu por 8 pontos: 116 a 108.

Carmelo Anthony acerta a última bola e dá a vitória ao Denver sobre o Chicago

Em seu giro pelo oeste americano, o Bulls fez mais uma partida equilibrada, em que poderia ter saído com a vitória. Reagiu após perder o primeiro tempo por 10 pontos. Tudo isso, sem seu principal jogador Derrick Rose, recuperando-se de um torcicolor. Não houve perda na qualidade, já que o reserva C. J. Watson assumiu plenamente o papel de Rose. Foi o cestinha do Bulls e do jogo com 33 pontos. Luol Deng contribuiu com mais 24 pontos e o Bulls levou o jogo para o último minuto em vantagem. Vencia por 1 ponto, com dois lances livres pra bater, quando John Lucas desperdiçou os dois arremessos.
No último ataque, com 4 segundos por jogar, o Denver resolveu a parada com quem entende. Carmelo Anthony recebeu e lançou no estouro do relógio. Lá dentro. 98 a 97. O Denver jogava em casa, mas também tinha seus desfalques. Chauncey Billups ficou de fora. Vale ressaltar a boa atuação de Nenê, 18 pontos.

Dallas provoca a segunda derrota do Spurs

O Dallas é um dos times mais consistentes da liga, graças a um elenco bom equilibrado. Um bom banco e o alemão Dirk Nowitzki, um jogador muito regular, que desequilibra na maioria dos jogos. Outra especialidade do Mavs é cortar a onda dos times embalados. O Dallas quebrou a invencibilidade do New Orleans. Nesta sexta, no clássico do Texas, venceu o Spurs em seus domínios. 103 a 94. O San Antonio vinha de 12 vitórias seguidas, mas viu o Mavs fazer uma partida perfeita. Dirk Nowitzki fez 26 pontos, menos do que outras partidas, só que o aproveitamento foi de 12 de 14 arremessos. Tyson Chandler e Shawn Marion ajudaram com 19 pontos cada.
O cestinha da partida foi o argentino Manu Ginobili, 31 pontos, mas o Spurs não escapou da segunda derrota. Dallas 11-4, Spurs, 13-2. Campanhas de respeito no oeste. O San Antonio ainda está na liderança, beneficiado pela derrota do Lakers.

Miami espanta a crise com vitória sobre o Sixers

Não ganhou de ninguém, como dizem no futebol, mas já serve como alento para esquecer as três derrotas consecutivas. O Sixers é o pior time do leste. Dá trabalho, mas não consegue vencer. Tem apenas 3 vitórias, contra 13 derrotas. Por isto, e por jogar em casa, o Heat deveria ter tido mais facilidade. Mas venceu apertado. 99 a 90, com 23 pontos de Dwayne Wade. Pela cara de LeBron James, foi um alívio.

Thunder consegue virada sobre o Indiana

O Oklahoma perdia para o Indiana Pacers, mas por poucos pontos. Danny Granger liderava o Pacers, que jogava em casa. O Thunder tinha Kevin Durant, autor de 25 pontos e o grande nome do jogo, Russel Westbrook. O armador do OKC arrebentou. Confirmou sua grande fase anotando seu recorde pessoal: 43 pontos. Mas se você pensa que o Oklahoma venceu de goleada, enganou-se. O jogo foi pegado no 4º quarto e terminou em igualdade. Na prorrogação, a bola de segurança era com Kevin Durant. A surpresa, com Westbrook. Mortal para o Pacers, que não resistiu. 110 a 106. São 11 vitória e 5 derrotas na temporada.

Em noite de 12 jogos, maioria dos mandantes venceu na rodada

O Charlotte recebeu o Houston e perdeu o 1º tempo. Virou o placar no 2º comandando por Geral Wallace, 21 pontos e 14 rebotes. Final: 99 a 89. Sexta vitória do Cats.



O Orlando Magic enfrentou o Cleveland. No ano passado, era tanta rivalidade que esse jogo chegou a ser semifinal de conferência. Mas, sem LeBron James, o Cleveland até tenta, mas não consegue equilibrar por muito tempo, a não ser em uma noie inspiradíssiam, como foi contra o Boston. Mas nesta sexta, não foi o caso. O Magic fechou por 111 a 100, com 23 pontos e 11 rebotes de Dwight Howard.



O O Boston Celtics estava com aquela derrota no Canadá, domingo passado, atravessada na garganta. Por isso, nesta sexta foi dia de vingança. O Celtics teve a volta de Rajon Rondo. Ele já voltou com 14 assistências. Kevin Garnett foi o nome do jogo: 26 pontos e 11 rebotes. Vitória do Boston: 110 a 101.



O Detroit Pistons acolheu o Milwaukee Bucks para recuperar-se um pouco na tabela. Vitória tranquila: 103 a 89.




sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Clippers vence. E bem.

Los Angeles Clippers e Sacramento Kings fizeram o outro jogo da magra rodada do feriado do Thanksgiving Day, um dois mais importantes dos Estados Unidos. Poucos jogos e sem muita expressão para não concorrer com a NFL, que tradicionalmente abre exceção em seu calendário, com jogos aos domingos e segundas, para uma rodada especial.
Voltando à NBA, foi dia do Clippers agradecer aos céus por ter pego um adversário fraco num dia em que tudo funciona. Mesmo ainda sem a dupla mais experiente, Baron Davis e Chris Kaman, a dupla mais nova deu conta do recado. Eric Gordon foi o cestinha com 28 pontos. Blake Griffin anotou 25 e pegou 15 rebotes, além de dar um show pra torcida com suas mosntruosas enterradas. Final: 100 a 82. O Clippers chegou à terceira vitória, segunda consecutiva, e iguala o Philadelphia. Só continua com a pior campanha porque tem uma derrota a mais, 13.

Atlanta quebra o encanto do Wizards

A fórmula que fez o Washington vencer duas vezes o Philadelphia não fez efeito contra o Atlanta Hawks. Ontem o time foi batido com facilidade por 116 a 96. Arenas pelo Wizars e Joe Johnson, pelo Hawks fizeram 21 pontos cada. Al Horford, com 13, e Josh Smith, com 14, foram o diferencial do Atlanta nos rebotes. John Wall desta vez não brilho. Foram apenas 10 pontos, mas com 7 assistências.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Houston consegue a quarta vitória

111 a 101, contra o Golden State Warriors. Agora, campanha de 4-10, a terceira pior campanha do oeste.

Chicago derruba o Phoenix, em dupla prorrogação

A derrota para o Lakers não desanimou o time do Chicago, que 24 horas depois já estava no Arizona para enfrentar o Phoenix. Apesar de sofrer com a correria do Suns, com 25-6 no 1º quarto, a recuperação veio logo no 2º período. O empate veio a 45 segundos do fim. O Phoenix teve a última chance, mas não soube aproveitar. Prorrogação.
A partir daqui, o League Pass parou. E ainda tinha muita emoção pela frente. O Phoenix teve nova chance, mas a 1 segundo do fim, Derrick Rose empatou de novo. 111 a 111. Novo overtime e desta vez foi o Bulls que liderou o placar. Derrick Rose foi o grande líder, com 35 pontos e 12 rebotes, rumo à vitória: 123 a 115. A turnê do Bulls pelo oeste já tem saldo de 4-1.

Duelo entre Durant e Nowitzki termina com vitória do alemão:

Foi um jogo franco, digno de playoff, com os astros atuando em alto nível. Kevin Durant jogava em casa e garantiu um double-double: 32 pontos e 11 rebotes. Westbrook ficou devendo, 13 pontos. Dirk Nowizki não foi tão eficiente na defesa, mas no ataque ele é imarcável. Foram 34 pontos. Tyson Chandler deu uma bela ajuda, com 17 pontos e 18 rebotes, sua melhor performance e o Mavs conquistou uma grande vitória. 111 a 103.

Memphis passeia contra o Detroit

Zach Randolph mais uma vez foi o destaque do Grizzlies, com 21 pontos e 14 rebotes. O Memphis fechou o jogo por 105 a 84.

San Antonio precisou da prorrogação para vencer o Minnesota

Manter a melhor campanha da NBA não tem sido fácil para o San Antonio Spurs. O Minnesota começou arrasador. Fez 33-18 no 1º quarto, administrou no 2º, cedenco 1 ponto, mas permitiu a reação no 2º tempo. O San Antonio só conseguiu igualar a 10 segundos do fim. Perdendo por 3 pontos, o Spurs tentou um tiro de longa distância com Gary Neal. Ele não converteu mas sofreu falta. Depois acertou os três lances livres e empátou a partida.
O Wolves teve a última bola em mãos mas Luke Ridnour não soube aproveitar. Na prorrogação, Manu Ginobili, sempre ele, resolveu a parada. Fechou a partida com 26 pontos, e o placar ficou em 113 a 109 para o San Antonio. Kevin Love teve números impressionantes: 32 pontos, 22 rebotes. Mas o lance capital, que poderia dar a vitória ao Wolves pelas mãos dele teve um desfecho patético. O Spurs tem agora a campanha de 13-1 na temporada.

Orlando vence o clássico da Flórida

O Miami Heat chegou desmoralizado para o jogo mais difícil da semana. Vinha de duas derrotas frente ao Memphis e Indiana. E contra o Orlando, não conseguiu encaixar seu jogo. Dwayne Wade recuperou-se da partida ridícula contra o Pacers, quando fez apenas 3 pontos. Contra o Magic foram 18. Chris Bosh fez 21 e LeBron James 25 pontos. O restante do elenco não conseguiu contribuir com mais de 9 pontos. Já o Magic foi mais mortal com os 24 pontos de Dwight Howard, 20 de J.J. Redick, 18 de Brandon Bass (surpresa) e 17 de Jameer Nelson, o grande nome do jogo. O baixinho de Orlando conseguiu 14 assistências, recorde na carreira e, a exemplo de outros jogos, fez cestas decisivas antes de ser expulso de quadra. O Orlando dominou melhor os nervos no fim do jogo e controlou as investidas às vezes atabalhoadas de LeBron e Wade. Final: 104 a 95.

Shaq faz double-double na vitória do Boston sobre o New Jersey Nets

Shaquille O'Neal fez sua melhor apresentação na temporada. Jogou 31 minutos e saiu como o cestinha do jogo com 25 pontos e 11 rebotes. Paul Pierce adicionou mais 18 pontos e Ray Allen, 15. Foi mais um jogo sem o armador titular Rajon Rondo e talvez por isso o time sofreu um pouco pra bater o Nets, mesmo em casa. Final: 89 a 83. O Boston tem a melhor campanha do leste com 11 viórias e 4 derrotas.

Utah, de Deron Willians, vence o New Orleans de Chris Paul

Foi o duelo de dois dos melhores armadores da NBA. Seguramente, os dois melhores do oeste. E quem levou a melhor foi D-Will, que jogava em casa, com o apoio da torcida. Autor de 26 pontos e 11 assistências, ele comandou a vitória do Jazz por 105 a 87. CP3 fez 17 pontos e 9 assistências. Ressalte-se que o Utah venbceu também por um ótimo aproveitamento de arremessos, especialmente os lances livres, 100% dos 19 tentados. Foi a terceira derrota do New Orleans, que agora é superado por San Antonio e Lakers na conferência oeste.

Toronto vence o Sixers pela 2ª vez, em uma semana

Na semana passada, o Raptors foi a Philadelphia e venceu, 94 a 86. Começava aí uma série de 4 vitórias. A quarta, foi justamente sobre o mesmo Sixers, agora por um placar bem mais folgado. 106 a 90. Mais uma vez, Andrea Bargnani foi o grande destaque, com 24 pontos. Leandrinho colaborou com 11. Sexta vitória (6-9).

Cleveland volta a vencer

Foram 3 revezes seguidos, mas o Cavs fez as pazes com a vitória. Bateu o Milwaukee, jogando em Cleveland, por 83 a 81. Mo Willians foi o herói do jogo. Cestinha com 25 pontos e autor da cesta da vitória, num fantástico buzzer-beater. Sexta vitória (6-8).

Em 24 horas, New York repete vitória sobre o Charlotte

Um dia depois de se enfrentarem em Nova York, os dois times voltaram ao confronto, agora em Charlotte. E de novo foi muito apertado, com o Cats repetindo a reação no 4º período. Desta vez, faltou só tranquilidade. O Charlotte vencia até 1:29 do fim, mas perdeu ataques que não poderia ter disperdiçado. O Knicks fechou o jogo em 99 a 95. Foi a quinta vitória seguida, (8-8). O Charlotte tem 5 vitórias e 10 derrotas.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Bulls sofre a primeira derrota na Circus Trip

O Chicago fez ontem a quarta partida consecutiva fora de casa, por conta da Circus Trip, e conheceu a primeira derrota da viagem. Foi contra o Lakers, em Los Angeles. Mas o Bulls não afinou. Levou o jogo equilibrado até metade do último período e só foi desmontado por bolas de 3 pontos. Shannon BRown veio do banco e marcou 21 pontos, maior pontuação do Lakers ao lado de Lamar Odom. O cestinha do jogo foi Derrick Rose, com 30 pontos.

Dirk Nowitzki marca 42 pontos na vitória sobre o Detroit

Foi a 16ª vez que o alemão conseguiu o feito de passar dos 40 pontos. Ele ainda pegou 12 rebotes, mas a vitória sobre o Pistons não foi fácil. Pelo contrário, foi muito suada. O Pistons parece se ajustar a cada partida, com um bom jogo coleivo que ontem supriu a apagada atuação de Rip Hamilton, autor de 5 pontos. O Detroit vencia o jogo até a metade do 4º período, mas permitiu a reação. É que o Dallas tem um tal de Jason Terry, que se disfarça de reserva pra entrar e decidir as partidas. Ontem foram 16 pontos, a maioria deles, decisivos. Final: 88 a 84.

Knicks passa sufoco em casa contra o Charlotte

O Knicks fazia uma partida tranquila contra o Cats, com uma diferença que chegou a 13 pontos. Mas no 4º período, Stephen Jackson comandou uma reação sensacional do time de Charlotte. O cestinha foi D.J. Augustin, com 24 pontos, mas Jackson acertou aquelas bolas decisivas, reduzindo a vantagem para 1 ponto. O problema é que, apesar do ataque funcionar, a defesa não conseguia segurar as investidas no New York. Na última bola, com a chance de empatar, Jackson jogou na tabela. Final: 110 a 107.

Indiana emplaca a segunda vitória seguida

Motivado por ter vencido de maneira tão convincente o Miami Heat, em Miami, o Indiana não tomou conhecimento do Cleveland Cavaliers. O Pacers colocou 27 pontos de vantagem nos três primeiros períodos e relaxou no fim, por isso a diferença de 11 pontos: 100 a 89. O time é o vice-líder da divisão central e tem a 5ª melhor campanha da conferência leste.

New Jersey vai à prorrogação para vencer o Atlanta

O Atlanta tem se mostrado um time de altos e baixos. Começou com 6 vitórias, depois emendou 4 derrotas, venceu mais duas e agora perdeu a segunda consecutiva. Desta vez para o New Jersey, que está dando goso de ver. O time vem fazendo um excelente papel, dentro de suas limitações. O Nets teve a chegada de Avery Johnson, que aliás não é pouco. Ele é um grande motivador. No elenco, veio Jordan Farmar e o número 3 do draft, Derrick Favors, que tem feito boas partidas.
Ontem contra o Hawks, Brook Lopez anotou 32 pontos e 9 rebotes. Devin Harris fez 27 pontos e 9 assistências. Ele teve a última bola para decidir quando o jogo estava empatado, mas deixou pra resolver na prorrogação. Final: 107 a 101.

John Wall conduz o Washington a vitória épica

O Washington Wizards literalmente fez mágica nesta terça-feira contra o Philadelphia. Perdia por 5 pontos até 22 segundos do fim. Perdia com 3 faltando 8 segundos, e com o 76ers com dois lances livres pra cobrar. Pois aí se notou a diferença entre o número 1 e o número 2 do draft deste ano. Evan Turner, nº 2, com a chance de definir o jogo, erros os dois lances livres. Não havia mais tempos disponíveis.
O Wizards pegou o rebote e John Wall conduziu. A três segundos do fim, 106 a 103 para o Sixers, ultramarcado, Wall tentou um arremesso desesperado de longe. Erraria, certamente, mas a arbitragem marcou bem uma falta. Wall, nº 1 do draft, foi lá, acertou os três lances livres e levou o jogo para a prorrogação.
No tempo extra, o Wizards ainda conseguiu outra proeza. Perdia por 114 a 113, tinha 14 segundos para tentar o empate, mas Nick Young arriscou tudo num tiro de 3 pontos e se deu bem. Foi a cesta da vitória. 116 a 114. Nick (foto) mal cabia em si de tanta alegria em ter sido um dos heróis do jogo.
O Wizards arrancou uma vitória de um jogo que parecia perdido. John Wall, que ficou fora por 2 jogos, foi o cestinha com 25 pontos, 17 só no 4º quarto.
Curioso é que no começo do mês as duas equipes se enfrentaram, o jogo foi para overtime e terminou com vitória do Wizards por 116 a 115, a primeira da temporada. E também houve show de John Wall.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Celtics Brasil: o primeiro parceiro

Dou as boas vindas aos amigos do Celtics Brasil, o primeiro blog a retribuir a parceria de links. Isso tem uma importância muito grande para a divulgação dos blogs e também do esporte. Não faço este blog pra concorrer com ninguém, apenas pelo prazer de registrar como estou acompanhando a temporada da NBA. A meu ver, os conteúdos se complementam, já que ninguém consegue falar sobre tudo.
Por isto, disponibilizo o link para os principais blogs e sites sobre a NBA do país. São 17 recomendações para sites gerais e 20 de torcedores de times. E o espaço está aberto para outras. Só os 10 mais recentemente atualizados aparecem na lista. Alguns, sem o RSS, ficam sempre no fim da lista. É um link generoso, na primeira página, com ícone, título, miniatura da foto e as quatro primeiras linhas do post.
Com as novas ferramentas do Blogger de acompanhamento das estatísticas de leitura, fica muito legal ver que blogs e links têm realmente força de redirecionar leitores. Foi assim que descobri que precisa de um tradutor na página, já que a maioria dos leitores vem dos Estados Unidos.
Que o Celtics Brasil seja a primeira de muitas parcerias.

Do fundo do baú 2: o último título de Londrina

Só hoje vi esta matéria produzida há dois anos. Era um momento em que o time de Londrina lutava pra sobreviver, ainda com o nome de Inesul.

Depois disso, o time teve a participação no NBB 2, em que foi penúltimo lugar. Neste ano, a equipe foi vice-campeã paranaense, perdendo para este mesmo Campo Mourão. O futuro é incerto, apesar de uma competição programada, a Copa do Brasil, espécie de segunda divisão do NBB.

Do fundo do baú: Londrina x Mackenzie

Que saudade do bom basquete de Londrina. E de cobrir jogos emocionantes, como este, de 1999, pelo Campeonato Brasileiro. Oscar Schmidt sempre passava apurado com o caldeirão que era o Moringão, mas não deixava de anotar seus 35, 40 pontos por jogo.

Utah e Denver vencem na rodada

O Utah venceu em casa o Sacramento Kings, 93 a 84. Utah segue com boa campanha. 10-5.


O Denver jogou fora e voltou com uma grande vitória sobre o Golden State. Carmelo Anthony marcou 39 pontos. O jogo teve a colta do showman Chris Andersen, o Birdman, que chamou a atenção tanto pelo visual quanto pelas jogadas fantásticas. O GSW até virou 1 ponto na frente, mas no 2º tempo o jogo foi todo do Denver. Final: 106 a 89.

Nash retorna e Phoenix volta a vencer

Alguns times dependem muito de um jogador, caso do Phoenix Suns. O armador Steve Nash nem sempre é o cestinha da equipe, mas ele é o cérebro do grupo. É quem cadencia o ataque e deixa os companheiros na "cara do gol". Mas no confronto com o Houston, no Texas, Nash marcou 24 pontos e se tornou o 16º jogador em atividade a ultrapassar a barreira dos 15 mil pontos. O cestinha da noite foi Jason Richardson, com 26 pontos. Final: 123 a 116. Quarta derrota consecutiva do Houston, que continua com campanha pífia, 3-10.

Boston arrasa o Atlanta

O Boston foi a Atlanta e arrancou uma vitória sem tanta dificuldade, graças a um 1º quarto arrasador. 39-13. Depois foi só administrar o placar, que só não foi mais elástico porque os reservas do Celtics jogaram bastante no 4º período. Final: 99 a 76. Vitória pra colocar o Boston na liderança da Conferência Leste.

San Antonio vence o Orlando e segue com a melhor campanha

O San Antonio Spurs agora lidera sozinho como a equipe de melhor campanha da temporada. É a única equipe com apenas uma derrota. A vitória de ontem sobre o Magic foi a 11ª consecutiva e a 12ª no campeonato. Mas não foi fácil dobrar a equipe de Orlando, que até então era a melhor equipe do leste. Ninguém conseguia ser eficiente na marcação de Dwight Howard, que conseguiu 26 pontos e 18 rebotes. O Spurs só conseguiu decidir o jogo nos três minutos finais. O ataque do Magic parou, e o San Antonio aplicou uma corrida de 12-2. Manu Ginobili comandou a reação com 25 pontos e 9 assistências. O Spurs fechou o jogo por 106 a 97. Tiago Splitter jogou 10 segundos. Isso mesmo, só pra não dizer que não entrou em quadra.

Legal foi assistir ao jogo no League Pass. A equipe que transmite os jogos do Spurs é, disparada, a mais fanática.

Clippers surpreende o New Orleans e o mundo

Quem entende o Los Angeles Clippers. Pior campanha, apenas uma vitória e 13 derrotas. É bom ressaltar, que esta vitória tinha sido sobre o Oklahoma, que não é qualquer pangaré. Mas o Clippers oscila muito em quadra. Faz grandes jogadas, mantém um padrão de jogo, e, de repente, sofre um apagão. Perde vários jogos por poucos pontos.
Já o New Orleans tem sido competente neste início de temporada. Com um basquete eficiente, também tem levado sorte, revertendo jogos que pareciam perdidos.
Mas ontem em Los Angeles, o confronto entre essas duas equipes tão diferentes teve um resultado inesperado. O Clippers conseguiu endurecer o jogo, com atuação de gala de Eric Gordon, 27 pontos, e de Blake Griffin, 24 pontos e 13 rebotes. O time de Los Angeles chegou no minuto final com vantagem. Apesar do esforço em querer perder, esta era a impressão ao desperdiçar tanos lances livres, o Clippers terminou em vantagem, graças aos erros de ataque do Hornets. 99 a 95.

Com Green e Durant de volta, OKC bate o MInnesota

Mesmo com os dois titulares retornando à equipe, o Thunder teve que suar muito pra vencer o Minnesota. Jeff Green e Kevin Durant foram fundamentais para o triunfo. Green, 24 pontos, Durant, 28. Thabo Sefolosha (13 pontos e 11 rebotes) e Russel Westbrook (20 pontos e 14 rebotes) conseguiram um double-double. Foi a quinta vitória consecutiva, 117 a 107.

Miami dá vexame em casa

O Miami Heat fez a pior apresentação da temporada, no jogo contra o Indiana Pacers. Em casa, com Wade voltando e com apenas o desfalque de Haslem. O Indiana não vem bem no campeonato, oportunidade perfeita pra jogar solto. Mas tomou um revés logo no 2º quarto. O Pacers fez 35 a 19 e vitou 13 pontos na frente. A corrida se repetiria no 4º quarto. LeBron James mais uma vez foi o cestinha do jogo, com 25 pontos. Bosh fez mais um double-double, com 21 pontos e 11 rebotes.
O grande mão de pau da rodada foi Dwayne Wade. Não sei se ele ainda sente dores no pulso, que o tirou do jogo contra o Memphis. Mas o fato é que foi a pior performance de Wade nos últimos 6 anos, a segunda pior da carreira. Ele conseguiu fazer apenas 3 pontos. Aproveitamento de 1-13 nos arremessos de quadra e de 1-5 nos lances livres. E Eric Spoelstra o mantinha em quadra, errando e afundando o Heat cada vez mais. O Indiana só precisou rodar a bola pra garantir a vitória folgada em Miami. Final: 93 a 77.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Contra o Golden State, foi a vez de Gasol ser 100%

O espanhol acertou todos os arremessos que tentou. Dez de quadra e oito lances livres, num total de 28 pontos em 30 minutos. Com mais 20 pontos de Kobe, 17 de Shannon Brown e 15 de Odom, ficou fácil para o Lakers. Um passeio: 117 a 89.

New Orleans segue em frente com mais uma vitória

O New Orleans Hornets continua em boa fase. Neste domingo passou pelo Sacramento Kings, jogando na Califórnia, num jogo de placar baixo: 75 a 71. Gostei do resumo que fez Jimmy Spencer, no site da NBA. "Chame de defesa forte ou ataque miserável". De qualquer forma, foi mais um degrau que o New Orleans subiu, agora com 11-1, um impressionante começo de campeonato.

Detroit vence o Wizards na prorrogação

O Washington teve a chance de voltar de Detroit com a vitória, mas desperdiçou a última bola. Na prorrogação, viu um domínio absoluto de Rip Hamilton (foto), que marcou 12 dos 13 pontos do Pistons no tempo extra. O Washington só conseguiu fazer mais 8 pontos e perdeu mais uma. Rip terminou com 27 pontos, 2 a mais que Charlie Villanueva, que também fez ótima partida. Quinta vitória do Detroit (5-8) e oitava derrota do Washington (4-8).

domingo, 21 de novembro de 2010

Batalha do Canadá termina com vitória do Toronto

Que jogaço pra premiar uma tarde de domingo! O Boston jogou sem Rajon Rondo, mas Nate Robinson deu conta do recado. Fez 22 pontos, O Toronto Raptors foi valente, liderou a maior parte do jogo contra o Boston, mas viu a viola em cacos nos 3 minutos finais. Em dois ataques, Ray Allen acertou duas bolas triplas e botou o Celtics na frente. Andrea Bargnani, destaque do Raptors com 29 pontos, parou de pontuar. O jogo parecia perdido para a equipe canadense, quando os verdinhos tinham 1 ponto na frente e a posse de bola, faltando 20 segundos. Mas uma roubada de Jose Calderon deu novo fôlego à equipe. No ataque, Amir Johnson sofreu falta, foi lá e converteu os dois arremessos, virando o placar e dando números finais: 102 a 1o1. Quinta vitória do Raptors (5-9), terceira consecutiva e quarta derrota do Boston (9-4).

Charlotte detona o Phoenix; Orlando bate o Indiana; Dallas vence em Atlanta; Denver passa pelo New Jersey; Utah surpreende o Portland - veja os vídeos

Charlotte 123 x 105 Phoenix - Triple double de Stephen Jackson (24 pontos, 10 rebotes e 10 assistências)


Dallas 98 x 93 Atlanta - Jogo emocionante, quase o Hawks chegou, depois de uma diferença de 17 pontos.


Orlando 90 x 86 Indiana - que cestaça de Jameer Nelson, no finzinho, provando que tamanho nem sempre é documento na NBA. Dwight Howard, 25 pontos, 10 rebotes


New Jersey 103 x 107 Denver


Utah 103 x 94 Portland

Tiago Splitter aproveita chance e marca 18 pontos na vitória do Spurs sobre o Cleveland

A noite de sábado teve encontro de brasileiros. O San Antonio Spurs, de Tiago Splitter, recebeu o Cleveland, de Anderson Varejão. Após vários jogos no banco sem entrar nem um pouquinho, desta vez o catarinense teve chance de atuar. Jogou por 26 minutos e marcou 18 pontos, um a menos que Tony Parker. Jogou mais tempo que Tim Duncan e quase o mesmo que os titulares, já que o Spurs é um dos times que tem melhor rotação. Varejão destacou-se mais nos rebotes, com 9 e fez ainda 8 pontos. O Spurs venceu bem por 116 a 92.

Por 1 ponto, Thunder vence o Milwaukee

Vai entender. A segunda partida fora de casa sem Kevin Durant, sem Jeff Green, e a segunda vitória. E desta vez a mão de Russel Wetbrook estava descalibrada, apesar de seus 18 pontos. Sorte de Oklahoma que James Harden quebrou um galho, acertando 6 bolas triplas e foi o cestinha do Thunder com 23 pontos. Nos instantes finais, o OKC chegou com vantagem de 3 pontos. O Bucks só conseguiu fazer dois pontos parou por aí. Final: 82 a 81. Nona vitória do Thunder (9-4).

Memphis derrota o Miami com buzzer-beater

Um jogaço entre Miami e Memphis, na terra do Elvis. Jogo pegado, do início ao fim. De um lado, o jogo coletivo do Memphis, liderado por Zach Randolph, 21 pontos e 13 rebotes. Do outro, um Miami desfalcado, sem Dwayne Wade e com o polivalente Udonis Haslem saindo contundido. Ele ficou só 15 minutos em quadra. Mesmo assim, com reservas como Ilgauskas e Eddie House jogando mais do que o normal, o Hea conseguiu levar o jogo em banho-maria. LeBron James assumiu a liderança do grupo e anotou 29 pontos e distribuiu 11 assistências, com Bosh e House ajudando com mais 20.
Com esses ingredientes, o Memphis conseguiu chegar ao minuto final com a vantagem de 5 pontos. LeBron tomou um toco de Zach, mas depois roubou a bola que resultou no contraataque do empate. Faltava ainda 5 segundos e a posse de bola era do Memphis. Rudy Gay recebeu na direita e, mesmo marcado por LeBron, fuzilou na buzinada. Vitória do Memphis, 97 a 95.

Blake Griffin dá show, mas o Clippers perde mais uma

Os jogos do Los Angeles Clippers parece que seguem um roteiro hollywoodiano. O time joga bem, oferece resistência, faz grande4s jogadas de efeito, mas o resultado, quase sempre é o mesmo: derrota.
Ontem foi assim contra o New York Knicks. Blake Griffin foi um monstro. Anotou 44 pontos, pegou 15 rebotes, distribuiu 7 assistências, deu 3 tocos. Eic Gordon contribuiu com mais 25 pontos. Mas a defesa do Clippers não foi páreo para a fórmula venenosa do Knicks. Amar´e Stoudamire dominando o garrafão, com 39 pontos, e Danillo Gallinari, matando com seus arremessos de média e longa distância. O italiano marcou 31 pontos e ajudou o Knicks a conseguir a terceira vitória consecutiva na estrada. Final: 124 a 115.

sábado, 20 de novembro de 2010

Sacramento vence o New Jersey Nets

Importante vitória, quebrando uma sequência de seis derrotas. Final: 86 a 81.

Visitantes, Knicks e Bulls vencem no oeste

O Chicago foi a Dallas e foi tratado como todo visitante. Foi recebendo uma saraivada de cestas. Dirk Nowitzki estava implacável. Marcou 36 pontos, acertando de todo jeito. Mas o Bulls foi trabalhando a bola, enconstando, e a 4 minutos do fim, conseguiu virar. Daí em diante virou jogo franco, até a decisão nos segundos finais. Final: 88 a 83, segunda vitória dos sete jogos fora por conta do Circus Trip, a temporada obrigatória na estrada por conta de um festival de circo que é realizado em seu ginásio em Chicago todos os anos.


O New York Knicks também aprontou uma surpresa para a equipe mandante, o Golden State Warriors. E num jogo em que a defesa é o menos importante, o placar só poderia ser elástico: 125 a 119. Raymond Felton fez 35 e Monta Ellis, cestinha do campeonato, 40 pontos. Mas a vitória ficou com Knicks.

San Antonio e New Orleans mantém boa campanha

Os dois times jogaram e venceram seus jogos. As campanhas são idênticas (10-1). Pra manter este retrospecto, o New Orleans teve um fardo um pouco mais leve. Jogou em casa contra o Cleveland, mas não teve vida fácil. Apesar da desvantagem de 18 pontos no primeiro tempo, o Cavs voltou com outra postura na segunda etapa. O melhor momento foi a 1 minuto do fim, quando a diferença caiu para 4 pontos e o Cavs voltou para o jogo. David West, cestinha com 34 pontos, converteu o ataque seguinte e fechou o placar: 108 a 101.


Já o San Antonio Spurs teve um desafio e tanto pra manter a boa campanha. Pegou o Utah Jazz em Salt Lake City, mas parecia estar em casa. O Spurs não deixou cair o ritmo, mantendo uma distância segura do Utah, que acompanhou, mas não conseguia se aproximar. Neste jogo, Tim Duncan anotou 19 pontos, e se tornou o maior pontuador da história do San Antonio, passando David Robinson com 20.797 pontos. Ele também é o jogador que mais atuou com a camisa do Spurs, com 988 jogos.
Voltando ao jogo, Tony Parker somou 24 pontos, um a mais que Deron Willians, e terminou como cestinha. Final: 94 a 82.

Matt Barnes 100% na vitória do Lakers sobre o Minnesota

O reserva do Lakers teve atuação surpreendente. Ele terminou a noite sem erros. Acertou os 7 arremessos que tentou, 5 deles da linha dos 3 pontos, e os 5 lances livres, em 23 minutos em quadra. Foi o cestinha do time angelino, com 24 pontos, um a mais que Kobe Bryant. Barnes ainda pegou 7 rebotes e deu 6 assistências. Pelo Wolves, Michael Beasley anotou 25 pontos. Darko Milicic fez 23 e 16 rebotes. O wolves só não ameaçou o Lakers porque Kevin Love, que há uma semana fez um 30-30, saiu zerado em pontos. Décima primeira vitória do Lakers (11-2). Final: 112 a 95.

Miami chega à oitava vitória

Mas se engana quem pensa que o jogo contra o Charlotte foi mole. No primeiro tempo, várias jogadas de efeito, como a assistência de costas de LeBron James, para Dwayne Wade enterrar, também de costas. Mas o Cats reagiu no 3o. quarto e tirou 12 dos 17 pontos de vantagem. O time seguiu jogando bem e chegou a passar à frente, quando faltavam 5 minutos, no quarto período. Stephen Jackson liderou a reação, com 30 pontos. O big three, que já estava em ritmo de treino, foi obrigado a voltar à quadra. Só no minuto final é que a situação se definiu. O cestinha da noite foi LeBron James, com 32 pontos. Final: 95 a 87.

Washington passa apertado pelo Memphis

Ainda sem John Wall, o Wizards teve que suar muito para bater o Memphis. Muitas vezes, ficou atrás no marcador e foi buscar. Gilbert Arenas foi o cestinha com 24 pontos. O Memphis ainda teve duas chances de empatar nos instantes finais, mas a bola não caiu. Final: 89 a 86. Quarta vitória do Washington (4-9) e nona derrota do Memphis (4-9).

Toronto e Philadelphia se garantem em casa

O jogo valia a quarta vitória para Toronto e Houston. A partida teve altos e baixos dos dois lados, mas quem levou a melhor foi o Toronto, com 26 pontos de Andrea Bargnani. Final: 96 a 86.
foto: raptors.com


E o Sixers, ainda sem Iguodala, conseguiu respirar. Uma importante vitória em casa sobre o Milwaukee, 90 a 79.
foto: sixers.com

Sem Durant, Oklahoma vai a Boston e surpreende o Celtics

Desfalcado de seu principal jogador, Kevin Durant, e de Jeff Green, o Oklahoma City Thunder encarou o Boston Celtics de igual para igual e se deu bem, mesmo jogando na lendária quadra do Celtics. A verdade é que o Boston não esteve bem. Seu principal cestinha foi Kevin Garnett, com 16 pontos. O OKC botou muita vontade na ponta dos dedos e contou com boa apresentação do Russel Westbrook, 31 pontos. No 4º quarto, quando o rendimento de Westbrook caiu e ele não acertava mais nada, o Boston não soube aproveitar. Foram muitos erros no último período, com placar de apenas 15 a 12 para o Boston. O Thunder administrou uma diferença de 5 pontos, graças à incompetência dos verdinhos. Final: 89 a 84. Oklahoma agora tem 8-4 e Boston 9-3.
foto: site do OKC

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

O melhor ficou para a madrugada

Quinta-feira é um dia de poucos jogos na NBA. Nesta foram apenas 3. Os dois primeiros, que começaram mais cedo, não chegaram a empolgar. O Clippers cruzou os Estados Unidos para jogar contra o Indiana Pacers (foto: site do Indiana Pacers). Tomou um chocolate de perder o rumo, até mesmo para um time acostumado com derrotas, como o Clippers. 107 a 80. O Pacers alcançou o equilíbrio (5-5). Já o Clippers faz campanha pífia (1-12).


No outro jogo, o Orlando Magic não deu chances ao Phoenix. 109 a 85. Dwight Howard juntou mais um double-double à sua coleção (20 pontos e 12 rebotes). Orlando tem a campanha de 8-3 e o Phoenix agora está empatado em vitórias e derrotas 6-6.
foto: nba.com



O terceiro jogo foi bem mais disputado. Portland e Denver travaram uma batalha até a última bola. O Blazers jogou mais uma vez sem o astro Brandon Roy, mas os que entraram em quadra jogaram com muita raça pra superar o desfalque e dobrar a equipe de Carmelo Anthony, Chauncey Billups e Nenê. LaMarcus Aldridge foi o cestinha,com 24 pontos e o Portland conseguiu sua 8ª vitória (8-5): 86 a 83. Para o Denver foi a 6ª derrota (6-6).

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...